A Deusa Tríplice e as fases lunares

Share the love
  • 1
    Share

A Deusa Tríplice e as fases lunares

 

A lua é um lembrete sempre presente da natureza cíclica e uma incorporação do mistério da vida. Muitas Deusas foram ligadas à lua, pois durante a noite o instintivo predomina e a intuição tem sido, desde há muito tempo, uma qualidade feminina. Porém, ao racionalizarmos suas fases e enxergarmos a lua apenas através de uma visão científica, esquecemos a perspectiva de que a vida é uma metáfora para o espírito e assim nos distanciamos da Deusa.

As fases da lua são ocasiões festivas desde a pré-história e, além dos oito Sabbats, os povos celtas também celebravam os Esbats, as treze luas cheias ao longo do ano solar. A palavra Esbat vem do verbo esbattre, que em francês arcaico significa “alegrar-se”. Essas celebrações não são tão solenes quanto os Sabbats e proporcionam uma atmosfera jovial e alegre, além dos trabalhos mágicos.

Durante um Esbat, reverencia-se a força vital criativa, geradora e sustentadora do universo manifestada como a Grande Mãe. Há cantos, danças, histórias e meditações. No final é costume repartir pão ou bolo e beber vinho, suco ou chá, brindando à Deusa Lua e ofertando à natureza em sinal de gratidão.

A Lua influencia o desenvolvimento e o crescimento das plantas, o movimento das marés e dos fluidos corporais, o ciclo menstrual, a concepção, a geração e o nascimento de todos os seres vivos. Não há maneira melhor e mais imediata de fazer contato com nossa Deusa do que celebrar as suas fases.


As Três fases da Lua e a Deusa Tríplice

O número três é frequentemente considerado um número especial e até de sorte em diversas civilizações, culturas e crenças, tanto antigas quanto atuais. Muitos fatores são reunidos em grupos de três – mente, corpo, espírito; passado, presente, futuro; e assim por diante – o que transmite equilíbrio. As faces da Deusa também são três: Donzela, Mãe e Anciã. Cada uma destas faces está relacionada com uma fase do ciclo lunar, dessa forma todas as fases da feminilidade e das forças da criação, manutenção e destruição que fazem parte do ciclo da natureza são cultuadas. A Grande Deusa é então Deusa Tríplice, pois toda a sua criação passa pelo ciclo contínuo de vida, da morte e do renascimento.

A Deusa Tríplice

Neste post analisaremos as faces da Deusa e algumas de suas correspondências, bem como as fases lunares e a influência gerada para cada uma delas sobre a natureza.

Deusa Tríplice: A Donzela

Deusa Tríplice: A face Donzela - Lua Crescente

A primeira coisa que pensamos à respeito de uma donzela é que ela seja apenas uma moça virgem, ainda sem intercurso sexual. Esta interpretação faz parte do senso comum. Porém, ao contrário disto, uma Donzela é uma mulher livre, selvagem, imprevisível como o vento e cheia de energia. A Donzela é dona de si, é independente e sua sexualidade é focada na exploração e no fascínio da sua própria feminilidade, saboreando o que a vida tem para oferecer.

A face Donzela da Deusa Tríplice se faz presente toda vez que saímos de nossa zona de conforto, seja no trabalho, no autoconhecimento ou nos relacionamentos. Sua visão revigorada e seu centramento saudável são importantes em todas as fases de nossas vidas e não devem ser abandonados. Jovens garotas, naturalmente mais próximas à face Donzela, não devem ser reprimidas, mas sim encorajadas a serem verdadeiras consigo mesmas para desenvolverem seu senso de individualidade até a plenitude, impedindo dessa forma de que, futuramente, acabem confinadas dentro da mulher mais velha, causando assim crises de meia idade.

Esta face da Deusa está relacionada ao início de tudo e podemos notá-la em nós mesmos em todos os momentos em que estamos cheios de energia, em que estamos criativos e prontos para uma nova aventura ou o para o início de um novo projeto, etc.

A Donzela está presente na natureza durante a primavera. A vida abundante começando a florescer novamente, os animais livres aproveitando os prazeres da vida e a beleza que retorna à paisagem após o duro inverno. O Sabbat Ostara marca o início da primavera e a alegria do jovem Deus Sol, bem como o retorno da Deusa à face Donzela. O Sabbat seguinte, Beltane, marca o ápice da energia sexual da Deusa e do Deus, energia que se espalha por toda a natureza e garante fertilidade e vida abundante.

Face Donzela: Correspondências

  • Deusas: Ártemis, Perséfone, Diana, Eostre, Aine, Branwen, e Bast.
  • Estação do Ano: Primavera
  • Sabbats: Ostara e Beltane
  • Fase lunar: Lua crescente, representando a pureza, jovialidade e a busca pelo conhecimento.
  • Elemento: Ar
  • Ponto cardeal: Leste

 

Deusa Tríplice: A Mãe

Deusa Tríplice: A face Mãe - Lua Cheia

Embora não tenha participado da concepção de divindade no mundo ocidental, a Mãe é a face mais respeitável e cultuada do feminino. É Ela quem dá à luz e abençoa toda a vida. Bebês, animais, flores, cristais, tudo flui do seu útero divino, provendo também todo amor, devoção, bondade, compreensão e o cuidado que a maternidade abrange.

A Deusa Mãe é nossa bênção interior se erguendo por trás de cada mãe física, sustentadora, encorajadora e amorosa. Ela conforta àquelas mães que perderam seus filhos ou que pensam que não desempenham bem os seus papéis através de compreensão e apoio. Igualmente conforta àquelas que não possuem filhos, dotando-as com a tranquila reflexão de que são valiosas da mesma maneira.

Esta face da Deusa está relacionada com os cuidados, com a responsabilidade e com o amor que temos por nós mesmos e pelos outros. Sempre que desejamos e demostramos estes sentimentos para com outros seres, para com a natureza e para com tudo em nossas vidas, fortalecemos e vivemos esta face.

A face Mãe é representada pelo verão, quando a energia do Deus Sol fortalece a terra e as plantações, ao mesmo tempo em que a Deusa cuida para que a abundância esteja sempre presente. o Sabbat Litha retrata o momento em que o Deus Sol está no auge de sua energia e a Deusa está aproveitando e cultivando as dádivas da vida. O Sabbat seguinte, Lughnasadh, representa o sacrifício do Deus Sol para garantir a próxima colheita em Mabon. Neste período a face Mãe começa a confrontar o ciclo inevitável de nascimento, morte e renascimento. Em Mabon é celebrada a colheita final antes do inverno. A face Mãe da Deusa começa a sentir falta de seu amante e filho, o Sol, e caminha para sua próxima face, a de Anciã.

Face Mãe: Correspondências

  • Deusas: Gaia, Deméter, Ísis, Danu, Freya, Lakshmi, Maeve, Inanna, Kuan Yin. Para muitos católicos, Maria é Deusa Mãe, embora a igreja negue sua posição divina.
  • Estação do ano: Verão
  • Sabbats: Litha, Lughnasadh e Mabon
  • Fase Lunar: Lua cheia, representando poder, proteção e carinho maternal,
  • Elemento: Fogo
  • Ponto cardeal: Sul

 

Deusa Tríplice: A Anciã

Deusa Tríplice: A face Anciã - Lua Minguante

Em nossa sociedade, as pessoas idosas não são muito valorizadas e, por vezes, até insultadas e negligenciadas. No entanto, é na face Anciã que o poder feminino se torna completo. Considerada como o início e o fim do ciclo, pois representa a escuridão primordial, a Anciã é sábia e observadora, conhece muito bem os caminhos deste mundo e da magia, possuindo estreita semelhança com a imagem da bruxa.

A Deusa Anciã é senhora das histórias e das lendas, às vezes gentil e às vezes abrasiva, podendo ser aquela avó de rosto corado ou a bruxa cercada por sombras assustadoras. Ela é dessa maneira para nos ensinar a como nos relacionar com o universo e com o nosso eu mais profundo. Podemos nos dirigir a Ela toda vez que sentimos que precisamos mudar ou quando buscamos o entendimento profundo de qualquer assunto.

Esta face da Deusa está relacionada com sabedoria, com magia e com experiência vasta em diferentes áreas. Nos conectamos com esta face sempre que buscamos conhecimento, que nos aprofundamos em algum determinado assunto ou quando passamos por dificuldades que exijam sabedoria para serem superadas.

A face Anciã está relacionada ao outono e ao inverno, pois é neste momento que as árvores começam a perder suas folhas verdes e a natureza se prepara para momentos onde o sábio uso de seus recursos será essencial para a vida. O Sabbat Samhain está relacionado a esta face da Deusa, pois neste período ela lamenta a partida do Deus Sol e começa a dar os indícios de que o inverno está chegando. Em Yule a Deusa está recolhida, porém seus ensinamentos estão sempre presentes e a promessa do retorno do Deus Sol é cumprida com o seu nascimento. A Deusa Anciã também é capaz de dar à luz! Em Imbolc a face da Deusa começa a mudar progressivamente retornando à face Donzela.

Face Anciã: Correspondências

  • Deusas: Cailleach, Baba Yaga, Hécate, Sedna, Kali, Sheela Na Gig
  • Estações do ano: Outono e inverno
  • Sabbats: Samhain, Yule e Imbolc
  • Fase Lunar: Lua minguante, representando sabedoria, conhecimento e renovação
  • Elemento: Água
  • Ponto cardeal: Oeste.

A face oculta da Deusa

Deusa Tríplice: A face Oculta - Lua Nova

O número quatro representa a solidez do quadrado. A cruz celta, os quatro elementos e os quatro pontos cardeais se completam, sugerindo assim um quarto aspecto da Deusa, misterioso e difícil de discernir. Esse quarto aspecto, embora complete os outros três, é uma entidade separada, é a própria transformação, é o vazio intergaláctico onde toda a luz começou, mas vida alguma consegue sobreviver. A Deusa Oculta é a Senhora da Magia, um paradoxo, e um mistério inexplicável.

Essa é a face que representa a destruição, não de ódio, mas de renascimento, da mesma maneira que a terra precisa ser arada após a colheita para um novo plantio. Não podemos entendê-la, mas a encontramos na noite escura da alma, quando seu negrume nos envolve e nos permite renascer com um novo panorama.

Presente no início e no fim de todo o ciclo, a face Oculta será sempre um mistério a ser desvendado. Além de ser o fim é também o começo, é a morte e é a vida, é a luz e também é a escuridão. Nunca a veremos, mas sempre saberemos que ela está presente.

Se for para relacionarmos a face Anciã com alguma estação do ano, a que melhor se encaixa é o inverno, pois ao mesmo tempo em que seu frio ameaça toda a vida, ele oferece tudo o que é necessário para que haja a continuidade do ciclo e o renascimento da natureza.

O Sabbat Samhain é o que melhor representa esta face, uma vez que nele os véus entre os mundos dos vivos e dos mortos está mais fino e questões que necessitam de muita reflexão vêm à tona, muitas vezes permanecendo sem respostas.

Face Oculta: Correspondências

  • Deusas: Lilith, Morrigan, Hel, Ran, Sekmet, Ereshkigal, Coatlicue
  • Estação do ano: Inverno
  • Sabbat: Samhain
  • Fase Lunar: Lua nova, representando renascimento, renovação, continuidade e mistério
  • Elemento: Terra
  • Ponto cardeal: Norte

Leituras recomendadas:

A Deusa Tríplice em cada um de nós

Após conhecermos melhor as faces da Deusa e a relação com as fases lunares, nós somos capazes de refletir à respeito de nós mesmos em busca de autoconhecimento e de equilíbrio. Podemos não perceber, mas as fases lunares afetam nossos corpos de diferentes maneiras.

Uma sugestão para acompanhar a mudança em seu comportamento e em seus pensamentos é fazer o uso de um caderno onde poderá anotar as datas em que você se sente mais disposta(o), mais criativa(o), mais forte e etc. Depois, cheque se no próximo ciclo lunar você voltará a exibir tais características novamente!

Qualquer dúvida deixe um comentário abaixo.

Blessed be )O(


Share the love
  • 1
    Share

Deixe uma resposta