Magias de invocação – Um estudo sobre diferentes maneiras de realizá-las

Share the love

Magia de invocação | Bruxaria, Paganismo, Wicca
Read it in English!

Bruxas e bruxos modernos trabalham com diferentes tipos de magia, como por exemplo, magia com pedras e cristais, magia com ervas, com a energia da Lua, do Sol ou com o poder das Deusas. Existem também diversas outras maneiras de realizar um trabalho mágico e há uma “categoria” que podemos chamar de Magia de invocação.

O ato de invocar algo significa trazer a energia, a entidade ou o ser até nós para que possamos controlá-la e para que ele possa realizar alguma tarefa que normalmente seria impossível ou muito difícil para uma pessoa comum. Para isto o praticante entra em contato com a energia que deseja trabalhar e realiza o seu ritual de invocação.

As práticas de magia de invocação podem ser encontradas tanto na antiguidade quanto nos dias atuais e abrangem desde a invocação de grandes seres como a invocação de espíritos de parentes e amigos mortos:

  • Os praticantes de Xamanismo, por exemplo, são capazes de invocar espíritos da natureza e de animais e de usar o próprio corpo como receptor;
  • Na idade média, seguidores do Neoplatonismo invocavam emanações da energia do “O Um”, a totalidade;
  • Praticantes de Magia Enochiana invocam anjos;
  • Enquanto praticantes da Goetia invocam “anjos caídos” ou demônios;
  • No espiritismo é bastante comum a “comunicação com espíritos”, havendo a possiblidade de comunição através da psicografia ou psicofonia;
  • Na Umbanda guias (espíritos) são chamados para a incorporação e se manifestam através de um “cavalo”, um médium capaz de recebê-lo;
  • A Tábua Ouija é um instrumento usado para invocar e se comunicar com os mortos, prática chamada de Necromancia;
  • No Voodoo os Houngans (sacerdotes), invocam espíritos chamados Loa que são intermediários entre Bondye (“Bom Deus” em francês) e os humanos;
  • Na Wicca é comum invocar o poder dos elementais.

Seja qual for a prática utilizada, este tipo de magia é extremamente poderosa e não deve ser praticada a esmo.

 

Magia de invocação: Primeiros passos

Antes de começar a praticar magia de invocação, o praticante deve estar certo de que conhece as energias a serem trabalhadas, bem como os possíveis riscos. De nada adianta o praticante tentar invocar um grande ser de luz se sua vida não traduzir um comportamento compatível com este ser. Também deve-se atentar ao fato de que qualquer energia a ser invocada possui vontade própria e pode agir conforme desejar.

Cena da série Penny Dreadful que retrata uma sessão espírita onde pessoas com “baixa vibração” estão presentes, dando um rumo inesperado à  simples invocação.

Uma excelente maneira de começar, e isso vale para qualquer tipo de magia, é através da meditação. Alcançar um equilíbrio constante com a própria mente ajuda a expandir a compreensão e também colabora para o autocontrole.

 R Fludd, Utriusque Cosmi, Vol II, Oppenheim, 1619 | Magia, Bruxaria, Paganismo e Wicca
R Fludd, Utriusque Cosmi, Vol II, 1619
Mostra os “mundos” que mente pode penetrar

Imagine que você precise carregar uma mala que pesa 5kg. É fácil. É tranquilo. Agora imagine que você precise carregar uma mala de 60kg. Ficou pesado, não ficou? Será necessária uma preparação física, condicionamento, fortalecimento dos músculos e etc. Na magia acontece o mesmo. Diferentes energias possuem “pesos” diferentes e por isso é tão importante saber exatamente se você é “forte” o bastante para “segurá-las”.

Quando uma invocação é feita sem o necessário cuidado, ela pode acabar em catástrofe. Possessões, materializações, cinestesia, combustões… energias liberadas com grande intensidade e sem o devido controle podem (e vão) fazer qualquer coisa que queiram.

Após obter o autocontrole, através da meditação, o segundo passo é o estudo. É necessário muito estudo e uma profunda compreensão da prática a ser realizada. Jamais tente fazer uma magia de invocação sem saber o que está fazendo ou de brincadeira.

S Michelspacher, Cabala, Augsburg, 1616 | Magia, Bruxaria, Paganismo e Wicca
S Michelspacher, Cabala, 1616
A escada é um símbolo que configura a ascenção do ser, a obtenção de conhecimento

O terceiro passo é saber exatamente quais são as suas intenções. Tenha em mente a existência da Lei Tríplice, onde tudo o que você fizer/desejar voltará multiplicado por 3 para você.

Magia de invocação: O que invocar

Quando analisamos as práticas de invocação presentes ao redor do mundo e com suas características peculiares, percebemos que, no fundo, o ato de invocar é o mesmo. Rituais mais simples como um círculo que vibra numa mesma frequência, podem ser usados para invocar espíritos de antepassados ou mensageiros que estejam dispostos a trazer mensagens importantes (ou nem tão importantes).

Elementais são ótimos seres a invocarmos para a nossa casa! Por exemplo, com um jardim bem cuidado, uma fonte com água limpa, uma lareira… além de serem seres de energia leve e pura, os elementais ajudam também a cuidar do ambiente.

Johann Daniel Mylius em ‘Philosophia reformata’ (1622) | Wicca, Magia, Bruxaria e Paganismo
Os quatro elemntos representados por Johann Daniel Mylius em ‘Philosophia reformata’ (1622)

O que de fato está diretamente ligado ao termo “invocação” nos sentido comum são os demônios. Independente de sua religião ou crença, demônios representam espíritos “densos”, “pesados” ou “caídos”. Demônios não são necessariamente ruins, da mesma forma com que anjos não são necessariamente bons. Nunca se iluda com esta ideia! Trabalhar com energias demoníacas ou angelicais é uma prática extremamente complexa.

Na Goetia encontramos uma lista de 72 grandes demônios que foram descritos no grimório do rei Salomão, conhecido como Lemegeton Clavicula Salomonis (A Chave Menor de Salomão). Diz-se que Salomão recebeu instruções de anjos sobre como controlar estes demônios para que eles o obedecessem. Junto à lista são encontrados selos, os famosos “sigils” para invocar ou selar os demônios.

Sigil de Malphas - Goetia | Bruxaria, Magia, Paganismo e Wicca
Sigil de Malphas

Simples orações tem o poder de pedir ou chamar a presença de anjos. Em essência elas são consideradas invocações, porém ao fazê-las o praticante não tem a intenção de controlar a entidade, mas sim a de que ela esteja presente. Ao dizer certas palavras e pedir a presença de determinados seres, cria-se uma energia que se assemelha a energia deles. No trecho abaixo da música Lily da cantora inglesa Kate Bush (temos uma análise da música Waking The Witch também dela), ela é ensinada a fazer um simples feitiço de proteção. Note que este feitiço não visa controlar as entidades, mas apenas pedir proteção:

Gabriel before me (Gabriel à minha frente)
Raphael behind me (Raphael atrás)
Michael to my right (Miguel à minha direita)
Uriel on my left side (Uriel ao meu lado esquerdo)
In the circle of fire (No círculo de fogo)

Anjos, contudo, podem ser realmente invocados através da magia Enochiana. No século XVI o Dr. John Dee e seu assistente Edward Kelley receberam visões e informações que os permitiram interpretar o idioma dos anjos, Enochiano. Os dois foram capazes de documentar a hierarquia dos anjos e também de acessar segredos do misterioso livro de Enoch, avô de Noé, homem cujo livro não foi publicado na Bíblia por não ser considerado “uma escritura”.

Sigil de Aemeth por John Dee, 1582 | Wicca Magia Bruxaria Paganismo
Sigillum Dei por John Dee, 1582.
Este selo representa o Deus vivo e é muito usado na magia Enochiana

Magia de invocação na cultura pop

Magias de invocação são encontradas com muita frequência na literatura, no cinema e principalmente no videogame e nos animes. Quem está acostumado a jogar RPGs por exemplo conhece bem o tema. Na série de RPGs eletrônicos Final Fantasy, invocar seres para ajudar durante as batalhas é bastante comum. Em Final Fantasy X, a protagonista, Yuna, é de uma “invocadora” capaz de invocar e controlar Aeons, espíritos evoluidos de grande poder.

 

Yuna invocando seu primeiro Aeon, Valefor (Valefor é um dos 72 demônios listados na Goetia)

A imagem que ilustra este post é do anime Sakura Card Captors, onde a personagem invoca seres mágicos contidos em cartas. O selo da imagem aparece sob seus pés toda vez que sua magia é utilizada, seja para invocar o poder de dentro da Chave Mágica ou para invocar o poder das Cartas Clow.

Sakura invocando o poder da Chave Mágica

No jogos de ação da série Bayonetta o jogador controla a Bruxa de mesmo nome que enfrenta anjos de todas as hierarquias. Durante as batalhas é possível invocar “Infernal Demons” com os quais ela estabeleceu um pacto. A linguagem utilizada durante os rituais de invocação, que consistem em danças, é a Enochiana.

A bruxa Bayonetta invocando Gomorrah com o encantamento “AVAVAGO!” que, em Enochiano, significa “Trovões”

No também RPG Persona 3, os personagens invocam sua Persona, um ser que habita “o oceano da alma”. O ato da invocação contudo é representado pelo uso de um acessório chamado de Evoker, que é similar a uma arma. O personagem mira e dispara contra a cabeça, criando de certa forma uma ruptura entre o consciente e o inconsciente e trazendo à tona sua Persona.

Ao romper a barreira entre consciente e inconsciente, o personagem libera a poder da Persona Orpheus que habita dentro dele
 

Magia de invocação: qual você pratica?

Aqui no nosso site estamos acostumados a postar dicas de como invocar o poder das Deusas para nossas vidas. Na seção Deusas você encontrará diversas manifestações que poderão ajudá-la em vários aspectos.

E você? Pratica algum tipo de invocação? Qual? Compartilhe suas experiências conosco!


Share the love

2 thoughts on “Magias de invocação – Um estudo sobre diferentes maneiras de realizá-las”

  1. CONCORDO,PLENAMENTE COM OS COMENTÁRIOS,REFERENTES AS PRIMEIRAS INVOCAÇÕES,TEM QUE SE PREPARAR E CONHECER BEM DO ASSUNTO ,POIS AS PESSOAS CÉTICAS SÃO MAIS PROPICIAS AS OBSESSÕES,QUE DEPENDENDO DAS CIRCUNSTANCIAS,SE FOREM FAVORÁVEIS PODEM CHEGAR A SUBJUGAÇÃO.

Deixe uma resposta