Roda do Ano – Sabbat Lughnasadh (Lammas)

Share the love

Roda do Ano - Sabbat Lughnasadh

Hemisfério norte: 1 de Agosto
Hemisfério sul: 1 de Fevereiro
Cores: Vermelho, marrom, laranja e amarelo

O Sabbat Lughnasadh, pronunciado Lúnasa, também conhecido como Lammas, é comemorado, na Roda do Ano, com as colheitas. É neste período que toda a abundância da terra está à disposição de todos. É dito que o Deus Lugh, filho do Sol, se sacrifica pelo bem das pessoas e fortalece os trigos para que sejam colhidos. O trigo colhido nesta época é usado para a produção de pães. O pão, como sendo símbolo do corpo do filho de Deus nas religiões cristãs, provavelmente teve sua inspiração aqui.

Alguns grãos oriundos desta colheita são guardados para a próxima plantação. Assim, o Deus Lugh poderá ressuscitar na próxima primavera. Mais uma característica aproveitada pelo cristianismo.

Roda do Ano - Sabbat Lughnasadh - Colheita do Trigo

 

Roda do Ano: Lughnasadh e a Primeira Colheita

Em Lughnasadh os frutos dos trabalhos em Ostara e Litha são colhidos. O Deus Sol se prepara neste momento para sua morte, e, por isso, cede toda a sua energia aos grãos plantados e as sementes para que uma grande colheita possa ser realizada e para que ela ainda de mais frutos em Mabon.

Neste Sabbat o Deus Lugh é honrado e, em sua homenagem, os grãos aqui colhidos são transformados em pães que são oferecidos aos animais e às Fadas. A Deusa também é honrada e a ela são destinados agradecimentos pela prosperidade, abundância das colheitas e pela promessa do retorno do Sol depois que ele partir.

O pão é um alimento simbólico pois possui em seus ingredientes os quatro elementos: Terra (grãos, farinha, sal…), ar (que o permite crescer), água (origem de toda a vida) e fogo (ao ser aquecido) e este Sabbat é ideal para agradecermos a presença de todos os elementos, das alegrias da vida e da abundância.

Muito comum neste Sabbat é a confecção de bonecas de milho e figuras de pão. A boneca é colocada no altar durante a celebração do Sabbat e, no ano seguinte, ela é queimada e substituída por uma nova.

Roda do Ano: Lughnasadh e a morte do Deus Sol

Em Lughnasadh o sol começa a ficar cada vez menos forte. Ainda não é muito visível, mas todos sabemos que a morte faz parte do ciclo de renascimento. Este é o primeiro Sabbat da parte escura do ano.

Como o Deus Sol se sacrifica para que a colheita seja abundante, em algumas semanas seus raios estarão tão fracos que o inverno reinará mais uma vez. Sacrifício é um tema recorrente neste Sabbat. Tudo o que desejamos ou buscamos só pode ser conquistado a partir de um sacrifício. Mas este sacrifício não é necessariamente nada doloroso ou sofrido, é apenas uma etapa do processo. Por exemplo, ao plantarmos uma semente, devemos esperá-la germinar. A espera pode ser longa e sacrificante, porém é necessária. Também podemos ver o sacrifício nas faces da Deusa que vê seu filho ceder sua vida para alimentar o povo e fica sozinha até que ele renasça novamente.

Portanto, neste Sabbat é ideal que sejamos gratos à abundância dos Deuses e que também paremos para refletir sobre nossas ações e objetivos, para que possamos passar pelos sacrifícios necessários e para que saibamos esperar pelos momentos certos.

 

Roda do Ano: Rituais em Lughnasadh

Os rituais realizados em Lughnasadh celebram a energia vital do Deus Sol, a colheita e a vida. Também celebra o sacrifício necessário como etapa do ciclo de nascimento e renascimento. Os rituais aqui apresentados foram retirados do livro “Wicca, A Religião da Deusa” de Claudiney Prieto, com adaptações.

Ritual de Lughnasadh: Fazendo uma Garrafa de Bruxa (Witches’ Bottle ou Spell Botlle)

as garrafas de feitiço (Spell Bottles), também conhecidas como Garrafas de Bruxas (Witches’ Bottle), estiveram em uso na Inglaterra e nos Estados Unidos pelo menos desde 1600. Elas foram criadas originalmente para destruir o poder mágico negativo ou para lançar um contra-feitiço ao criador de uma garrafa. Garrafas deste tipo ainda continuam sendo usadas.
As Garrafas de Feitiço também são feitas para uma variedade de propósitos e podem ser usadas em diversos casos. Algumas são enterradas ou escondidas, enquanto outras são colocadas nas janelas da casa ou em outros lugares proeminentes. Tudo isso simboliza a concentração de energia criada e potencializada para propósitos mágicos específicos.
Um dos momentos mais propícios para a confecção de Garrafas de Bruxas é durante este Sabbat, mas elas também podem ser confeccionadas em qualquer outro período do ano. Para cada finalidade são usados ingredientes diferentes, portanto não daremos nenhuma receita pronta por aqui. Você pode misturar ervas, pedras, cores, essências e objetos que se relacionem para fortalecer sua Garrafa. Caso você não tenha tempo para a produção de Garrafas você poderá encontrar diferentes tipos à venda no Empório Lunar e escolher a que mais se adéqua à sua situação ou desejo.

 

Ritual de Lughnasadh: Fazendo o Pão de Lammas

O preparo deste pão se inicia quatro dias antes da cerimônia.

Ponha dentro em uma tigela grãos de cevada (representando a cor branca), trigo (representando a cor vermelha) e centeio (representando a cor negra) e deixe em seu altar com seu cálice. Faça uma lista das boas coisas que você recebeu durante o ano que está chegando ao fim e agradeça pedindo pela multiplicação no próximo ano.

Pegue uma pitada de cada um dos três grãos e ofereça à Virgem, à Mãe e à Anciã, agradecendo-nas e declarando sua vontade de ver as bênçãos multiplicadas no próximo ano.

Durante três dias, verta água sobre as sementes, escoando dia e noite e espere-as brotar. Um dia antes de Lughnasadh, coloque sua tigela ao Sol, assim os brotos começarão a germinar. Eles serão utilizados na preparação do Pão de Lammas.

Comece a fazer o pão no dia da celebração do Sabbat.

Numa tigela, coloque:

  • meia xícara de chá de aveia;
  • meia xícara de chá de milho cozido;
  • duas xícaras de chá de água fria;
  • uma colher de sopa de sal.
Cozinhe por cinco minutos até formar um mingau. Adicione duas colheres de sopa de manteiga e meia xícara de chá de melado (para fazer um pão escuro) ou mel (para fazer um pão claro). Deixe esfriar à parte.
Dissolva uma colher de sopa de açúcar em meia xícara de chá de água. Borrife uma colher de levedura seca na água. Deixe descansar por dez minutos.
Quando a levedura estiver como uma cobertura fofa sobre a água, mexa rapidamente com um garfo para misturar. Adicione o mingau a duas xícaras e meia de chá de farinha de trigo e mexa.
Bata vigorosamente durante cinco minutos. Misturando desta forma você irá formar o glúten que dá ao pão uma textura elástica. Adicione os brotos.
Adicione mais duas xícaras e meia de chá de farinha de trigo.
Vire a massa sobre uma superfície polvilhada com farinha. Adicione outra xícara de chá de farinha se a massa estiver pegajosa. Cante cânticos apropriados ou algo alegre enquanto vai amassando e medite agradecendo a colheita do ano.
Amolde a massa formando uma bola lisa e coloque em uma tigela untada com manteiga. Cubra a tigela com uma toalha úmida. Deixe a massa subir e dobrar de volume; isso leva de uma hora e meia a duas horas.
Divida a massa em cinco partes iguais. Amasse cada parte e transforme-as em rolos compridos. Trance os cinco rolos entre eles e pincele com manteiga derretida. Se desejar, você pode traçar símbolos mágicos na massa dos pães com uma faca afiada.
Deixe-o crescer debaixo da toalha úmida durante mais 45 minutos. Asse a 350 graus durante 25 a 30 minutos.
Enquanto você come o pão no ritual, medite nos presentes que você recebeu.
Roda do Ano: Sabbat Lughnasadh - Pão de Lammas
Exemplo do Pão De Lammas

Ritual principal de Lughnasadh

Material necessário:

  • 1 Pão
  • Cálice com vinho;
  • 1 Boneca de pano recheada de grãos;
  • Ramos de trigo;
  • 4 velas marrons;
  • 4 velas laranjas;
  • Caldeirão;
  • Álcool de cereais;
  • Açafrão.
Rodeie seu caldeirão com as quatro velas marrons, intercalando-nas com as quatro velas laranjas. Enfeite o seu altar com os ramos de trigo e coloque o Pão sobre ele. Trace o círculo mágico e diga:

Hoje é o momento de festejarmos a primeira colheita. O Deus Sol nos trouxe a abundância. A Deusa Mãe nos presenteou com as sementes. Comemoro o Pão da vida que sustenta a todos. Abençoada seja a fartura da Terra.

Acenda as velas, agradecendo aos Deuses por todas as dádivas proporcionadas até o momento.
Pegue a boneca e com ela em suas mãos faça os seus pedidos. Dê três voltas ao redor do círculo e ao final da terceira volta coloque a boneca em seu caldeirão. Salpique um pouco de açafrão sobre ela e derrame um pouco de álcool. Ponha fogo no caldeirão enquanto diz:

O Deus dos grãos se sacrifica para nos alimentar e trazer vida ao seu povo.
Mas em cada semente há a promessa do renascimento.
Abençoado seja o mistério da vida presente em cada semente.

Eleve o cálice e diga:

Tomo este vinho em honra ao Deus da fartura e da abundância, do grão renascido, e da Deusa da colheita, a mantenedora da vida.

Faça uma  libação (ato de oferecer o vinho em honra aos Deuses) e coma um pedaço de pão, agradecendo por todos os benefícios alcançados. Dance e cante em homenagem aos Deuses.
Destrace o círculo.

Sabbats e a Roda do Ano

Leia também sobre os outros Sabbats que compõe a Roda do Ano:

 

About DanFF

Sou Daniel, Pagão e Bruxo. Criei o Santuário Lunar para ajudar a espalhar a magia da Deusa e suas diversas manifestações. Também criei Trismegistia para oferecer música pagã ao estilo New Age.


Share the love

Deixe uma resposta